CASA DE S. PAULO

A muitos que passaram por um cursilho em Cortegaça ouço dizer: “amo estar na casa de S. Paulo… Fiquei marcado no meu cursilho pela experiência que fiz de Jesus na casa de S. Paulo… E quando volto a esta casa tudo se renova e ganho novo alento… Esta casa diz-me muito”. Um pouco de história: A 10 de Novembro de 1964, na Cripta da Igreja do Ameal, foi decidido a construção da Casa de São Paulo, em Cortegaça. Um grupo de Cursilhistas de Cortegaça ofereceu um terreno para se construir a casa.

De regresso a Portugal, vindo de Roma onde participara do Concílio Vaticano II, D. Florentino presidiu ao lançamento e bênção da primeira pedra e a Obra nasceu. Conta o Gervásio: “Num dos vários momentos em Cortegaça, na sala dos Rolhos ainda sem cobertura, um responsável do secretariado propõe que a casa se venha a designar por “Casa de S. Paulo”. D. Florentino recebe a ideia e a casa assim passa a tomar o nome do Apostolo que algum tempo antes o Papa Paulo VI designaria como Patrono dos Cursos de Cristandade”. Foi inaugurada a 16 de Outubro de 1966 por D. Florentino e reinaugurada a 16 de Fevereiro por D. Júlio Rebimbas, após obras de ampliação e de beneficiação. Não se pode esquecer, nesta hora em que se celebram os 50 anos da construção da casa de S. Paulo, o P. Valdemar e tantos e tantos que decididamente tornaram possível este sonho. Um bem haja a todos eles, também aos que nela trabalham e ainda de maneira reconhecida àqueles casais que dedicaram e dedicam muitas das suas horas à gestão desta casa.                                                                    

Setembro 2016

P. José Baptista